Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Marco Feliciano, exclusivo: "Deputados evangélicos são mais cobrados"

O deputado federal Marco Feliciano, pastor e cantor evangélico, foi eleito com mais de 200 mil votos pelo PSC. Depois de iniciar a carreira como pregador em Orlândia, sua terra natal, viajou muito e vendeu bastante também - são milhares de CDs, DVDs e livros espalhados por lares de todo o país. Ele mal precisou de "santinhos" durante a campanha eleitoral: tinha, em muitas casas, sua mensagem gravada, em que evangélicos (ou não) buscam conforto ou ensinamentos por parte do ex-engraxate que, agora, virou deputado federal.


Em entrevista exclusiva ao blogue, ele discorre sobre diversos assuntos, desde as polêmicas sobre homofobia, aborto e ensino religioso, até sua relação com a cidade, onde recebeu poucos dos votos que lhe levaram a Brasília. Inicialmente marcada em seu escritório, por conta da inexperiência com câmeras deste blogueiro, a conversa foi gravada no estúdio montado na Catedral do Avivamento, igreja que fundou no final de 2009. Abaixo, a íntegra da entrevista, dividida em quatro vídeos. 


Feliciano: "É necessária a união civil de gays e lésbicas?"

Eleito com base em uma série de bandeiras tradicionalmente defendidas pelos evangélicos, o assunto da vez é o projeto de lei que prevê crime por homofobia. Feliciano é contra a união civil de pessoas do mesmo sexo, questionando, inclusive, sua necessidade. "Sou contra o preconceito, do qual também sempre os evangélicos foram vítima".

Feliciano: "Ensino religioso não é para converter ninguém"

Agora, o pastor Marco Feliciano explica sobre seu projeto de lei que pretende instituir o ensino religioso obrigatório nas escolas públicas. Ele se diz contra o proselitismo religioso em sala de aula, mas acredita que o Criacionismo também deve ser ensinado aos estudantes. Ele também fala sobre a disputa pela Presidência da Câmara e seu voto pelo salário mínimo de R$ 545, acompanhando o Governo.


Feliciano: "Orlândia precisa crescer; hoje, não tem futuro"

Na quarta parte da entrevista, o deputado Marco Feliciano fala ainda sobre Orlândia, e diz não ter ficado surpreso com sua votação, pouco mais de 2 mil eleitores na cidade. "Orlândia precisa caminhar para uma mudança".